O Projeto Tecnologias Sociais para a Gestão da Água – TSGA, selecionado em edital público da Petrobras programa socioambiental, iniciou suas atividades no ano de 2007 com o objetivo de fortalecer o uso sustentável da água através do apoio a capacidade de gestão local de comunidades de bacias hidrográficas em Santa Catarina, integrado à disseminação e implementação de tecnologias sociais na produção de alimentos e saneamento do meio rural.

A segunda edição do projeto teve início em 2013 com ações estruturadas em quatro programas que visam promoverem a implantação de avaliação de unidades demonstrativas sobre o uso da água, a formação e capacitação de técnicos e atores sociais municipais para a gestão do recurso água, a inserção comunitária e educação ambiental, além de ações de comunicação e disseminação de informações geradas no projeto e implantação de um Centro Tecnologias Sociais para Gestão da Água (CETRAGUA).

 

A - Informações gerais

 

INÍCIO: Março de 2007 (em andamento)

ENTIDADE EXECUTORA: Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC.

PARCEIROS: Petrobras – Programa Petrobras Socioambiental. Co-executores - Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina – EPAGRI Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária – EMBRAPA

APRESENTADO POR: Paulo Belli Filho

RECURSOS: Terceiros

FAIXA DE VALOR: Acima de U$ 25 mil

CATEGORIA: Projeto

ÁREA TEMÁTICA PRINCIPAL: Meio ambiente

PALAVRAS-CHAVE: ; Recursos hídricos, saneamento básico, tecnologias sociais, educação ambiental, unidades demonstrativas, governança, gestão, comunicação, rizicultura, suinocultura, agroecologia, mata ciliar.

PÚBLICO-ALVO: Agricultores familiares, populações tradicionais, moradores de comunidades isoladas, estudantes, professores, diretores de escolas, técnicos em geral, lideranças sindicais e atores sociais municipais que atuam na gestão dos recursos hídricos.

ABRANGÊNCIA GEOGRÁFICA: Estadual

ÁREA ESPECÍFICA DE IMPLANTAÇÃO: 

Os municípios abrangidos diretamente com atividades do projeto são: Araranguá, Braço do Norte, Orleans, Tubarão, Urubici, Concórdia, Ituporanga, Biguaçu, Chapecó e Florianópolis.

 

B - Descrição da prática

 

1- ANTECEDENTES

Resultados das experiências positivas das instituições levaram a construção de uma proposta de trabalho com abordagem com tecnologias sociais, de forma participativa com empoderamento dos participantes, que atenda as demandas do meio rural, agricultura familiar, pequenas comunidades isoladas e populações tradicionais.

O proposta teve base de estudo buscando resolver situações críticas do estado de Santa Catarina relacionadas à gestão dos recursos hídricos foram identificadas no Estado de Santa Catarina destacando-se: a ocorrência de conflitos entre a rizicultura e o abastecimento de água, problemas relativos à poluição provocada pela suinocultura, necessidades estruturais relacionadas ao saneamento rural em diversos  municípios, questões ligadas à preservação da Zona de Recarga Direta do Aquífero Guarani e problemas ambientais decorrentes da produção animal e constantes estiagens.

A participação do poder público e sociedade civil nestas discussões, a articulação entre os entes públicos e a sociedade, o empoderamento dos atores sociais, envolvidos neste processo, foram considerados fatores fundamentais para equacionar a problemática identificada, relacionada ao gerenciamento dos recursos hídricos e o uso sustentável da água.

Para tanto, no período de 2007 a 2010 Santa Catarina foi cenário da primeira edição do Projeto Tecnologias Sociais para a Gestão da Água – TSGA I, a partir da integração das experiências da Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC, Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina - EPAGRI e a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - Embrapa Suínos e Aves. Em 2013, iniciou-se a segunda etapa do projeto (TSGA II) dando continuidade à proposta inicial, agregando novas parcerias e municípios (Ituporanga e Chapecó).

 

2- OBJETIVO GERAL

Fortalecer o uso sustentável da água através do apoio à capacidade de gestão local em bacias hidrográficas de Santa Catarina, integrado à disseminação e implementação de tecnologias sociais na produção de alimentos e saneamento básico do meio rural.

Objetivos específicos:

Instalar e utilizar pedagogicamente unidades demonstrativas de sistemas de produção agrícola familiar sustentável visando à implantação e disseminação de Tecnologias Sociais para o uso eficiente da água em agroecossistemas; 

Disseminar tecnologias sociais para o saneamento básico rural, através de unidades demonstrativas pedagógicas;

Fortalecer as atividades formação, capacitação, incluindo atividades de Educação a Distância (EaD) em temas relacionados com o uso eficiente da água e preservação dos recursos hídricos;

Educação ambiental visando à divulgação, mobilização, sensibilização, formação e capacitação para a gestão da água; e

Consolidar a implantação do Centro de Tecnologias Sociais para Gestão da Água - CETRAGUA na Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC, em Florianópolis.

 

3 - SOLUÇÃO ADOTADA

O projeto se estruturou com base em uma coordenação geral na Universidade Federal de Santa Catarina. Envolveu professores, bolsistas e pesquisadores em nível de graduação e pós-graduação. No nível dos municípios abrangidos foram montadas equipes e parcerias institucionais para apoio local em Araranguá, Tubarão, Braço do Norte, Orleans, Urubici, Concórdia e Chapecó.  Nas comunidades o projeto conta com a participação de diversos atores sociais e lideranças: professores e alunos de escolas públicas, agricultores, líderes sindicais, membros de comitês de bacias e técnicos.

O trabalho foi realizado com a participação de todos os envolvidos, levando em consideração o conhecimento local nas tomadas de decisões.

Para atingir os objetivos, as ações foram estruturadas em quatro programas:

Programa I – Implantação e Avaliação de Unidades Demonstrativas em Tecnologias Sociais para Gestão da Água;

Programa II – Formação e Capacitação de Técnicos e Atores Sociais Municipais para a Gestão do Recurso “Água”;

Programa III – Inserção Comunitária e Estratégias de Educação Ambiental para a Gestão da Água; e

Programa IV – Comunicação, Disseminação de Informações e Acompanhamento do Projeto:

A metodologia para atingir os objetivos seguiu os passos do modelo GATs – Governança da Água e do Território Sustentável / PEDS – Planejamento Estratégico do Desenvolvimento Sustentável, desenvolvido pelo prof. Daniel Silva, que contempla as seguintes etapas:  

1 – Acordo inicial; 

2- Construção de uma economia da experiência; 

3- Prática de uma comunidade de aprendizagem; 

4- Definição de estratégias de governança; e

5- Avaliação e prospecção.

 

4 - RESULTADOS ALCANÇADOS

O Projeto TSGA em duas edições tem trazido diversas soluções e contribuições para a adequada gestão dos recursos hídricos no Estado de Santa Catarina. Dentre os resultados efetivos destacam-se:

- Implantação de unidades demonstrativas em gestão sustentável de resíduos da suinocultura em Braço do Norte/SC e Concórdia;

- Implantação de unidade demonstrativa em turismo rural sustentável, em Urubici/SC; 

- Implantação de unidade demonstrativa em captação e aproveitamento da água da chuva utilizando reservatório contendo areia – Araranguá/SC;

- Implantação de duas unidades demonstrativas em captação e aproveitamento da água da chuva em Chapecó e São João do Sul; 

- Implantação de Unidade demonstrativa em saneamento básico rural - filtro lento, em  Urubici;

- Implantação de três unidades demonstrativas em recomposição de mata ciliar em Braço do Norte, Concórdia e Orleans;

- Realização de ações de monitoramento da qualidade da água nos rios Passo dos Índios em Chapecó e Queimados em Concórdia;

- Desenvolvimento de um programa de capacitação presencial para contribuir com a formação dos atores sociais das comunidades. Foram ministrados 14 diferentes cursos, em 5 municípios capacitando um total de 428 pessoas;

- Criação de uma plataforma de educação em rede que oferece cursos em temas relacionados com a sustentabilidade disponibilizando uma forma de construção de conhecimento permanente, com conteúdo sempre disponível;

- Realização de 25 oficinas pedagógicas em análise da qualidade da água, reutilização e reaproveitamento de resíduos sólidos, com o estímulo através da Gincana Ambiental para a arrecadação dos materiais;

- Contribuição em de Planos de Educação Ambiental dentro do contexto escolar através a valorização pedagógica da educação ambiental como tema transversal;

- Formação de uma rede de escolas para o compartilhamento de saberes e experiências entre seus participantes e também a realização de trabalhos conjuntos sob a perspectiva do desenvolvimento de uma educação civilizatória e encantadora;

- Promoção de 8 eventos públicos visando divulgar os resultados a professores e comunidades para conscientização sobre a importância do bom uso e gestão da água;

- Produção científica: 06 teses de doutorado; 08 dissertações de mestrado;  15 trabalhos de conclusão de cursos de graduação; 22 artigos e participações em congressos;

- Criação de website (www.tsga.ufsc.br) e página no facebook (https://www.facebook.com/tsgaII?fref=ts ) para disseminar informações sobre as ações e material do projeto, compartilhar informações e hospedar a plataforma de educação em rede;

- Disponibilização de plataforma de educação permanente online – educação em rede, no site - http://tsga.ufsc.br/index.php/educacao-em-rede/cursos; e

 

- Centro de Tecnologias Sociais para Gestão da Água, Cetragua, em fase final de construção. Estrutura que está sendo edificada no Campus da Universidade Federal de Santa Catarina com o objetivo de ser um centro de referência para estudos sobre recursos hídricos, possibilitando análise laboratoriais, sala de reuniões e outras facilidades de trabalho.

 

5 - RECURSOS NECESSÁRIOS

O Projeto TSGA conta com o apoio de 50 profissionais. Sendo 18 professores, 25 alunos bolsistas, 03 doutores da Epagri, 03 doutores da Embrapa, 02 administradores celetistas, 02 gerentes executivos.A sede do projeto é cedida pela Universidade Federal de Santa Catarina, e conta com 55 computadores. O projeto também dispõe de 02 veículos para deslocamento da equipe. O projeto também conta com apoio das instituições parceiras para realizar as atividades programadas.

  

6 - TRANSFERÊNCIA

No âmbito escolar, o projeto contribui para inserção transversal dos conceitos relacionados à sustentabilidade e às práticas pedagógicas adotadas pelo TSGA nos Projetos Políticos Pedagógicos de escolas parceiras. Nestas escolas, foram apresentadas oficinas de reaproveitamento de resíduos e análises da qualidade da água. Para permitir a reaplicação das oficinas, as escolas foram estimuladas a realizar gincanas para coletas de resíduos e distribuídos kits de análises de qualidade da água e caixas plásticas para confecção de “minhocários”.  Escolas e instituições parceiras que participaram das oficinas: Donato Alípio de Campos (Biguaçu), Leopoldo Hannoff (Orleans), Escola Nucleada Águas Brancas (Urubici), Escolas Ana Régis Arantes (Peroba), Mota Pires (Araranguá), e Fundação Municipal de Meio Ambiente de Tubarão (FUNAT).  No âmbito da implantação e disseminação das tecnologias sociais, o projeto conta com 09 Unidades Demonstrativas Pedagógicas consolidadas e 03 em implantação. As unidades consolidadas estão cumprindo sua finalidade pedagógica, abertas à visitação nas comunidades para compartilhamento de informações, disseminação e troca de experiências.

As tecnologias sociais instaladas nas unidades demonstrativas podem ser utilizadas em outras localidades, diferentes realidades, desde que sejam respeitadas as características específicas do novo local. Recomenda-se para caso de implantação em nova localidade que seja feito um estudo, considerando o conhecimento local, das reais condições apresentadas e das adaptações necessárias as tecnologias. Reforçamos que é indispensável a participação de todos os atores sociais envolvidos no trabalho.

 

7 - LIÇÕES APRENDIDAS

A metodologia de trabalho utilizada no projeto permitiu uma interação entre os atores participantes levando a conhecer diversas regiões do estado, comunidades indígenas, populações tradicionais, comunidades isoladas e agricultores familiares. 

As ações do projeto foram definidas através de um processo de construção conjunta onde se buscou a troca de saberes e experiências com a comunidade. Os atores sociais e instituições parceiras se envolveram em todas as etapas do processo, com o empoderamento, a governança local e a identificação da comunidade com as práticas desenvolvidas. Sendo assim, as tecnologias e metodologias propostas no projeto vêm sendo disseminadas nas comunidades pelos próprios atores locais. Esta forma de trabalho foi um aprendizado constante para todos os participantes, com real domínio e uso do conhecimento gerado.

Outro aprendizado do trabalho foi sobre a sistematização da informação gerada. Houve grande preocupação com que a documentação seja preservada e o acervo do projeto seja disponibilizado para a sociedade, não apenas para compartilhamento, mas também para gerar reflexão crítica sobre os processos e resultados. Para a disponibilização permanente de material gerado e para a construção de conhecimento, estão sendo utilizados espaços virtuais, com site na internet, uso repositório da UFSC para hospedar o banco de dados com o acervo do projeto. As informações e as trocas de experiências estão sendo disponibilizadas no website e em redes sociais permitindo interações constantes e acesso aberto a qualquer usuário.

A principal dificuldade apresentada, neste modelo de projeto, é a necessidade de continuidade do trabalho em outras regiões do estado. O projeto irá ser encerrado neste ano, o recurso financeiro está em fase final, não existe perspectiva de continuidade e seria vital dar prosseguimento ao trabalho.

 

Há possibilidade de visita à prática em qualquer época, mediante agendamento.

 Sim.Não existe época mais propícia para realizar a visita, apenas seria conveniente evitar períodos muito chuvosos.  

Necessário agendar com os líderes comunitários ou técnicos regionais.

 de visitantes:

O ideal é que cada grupo de visitantes não ultrapasse 15 pessoas.  

powered by contentmap
 Recuperação de Nascentes em Área Rural (01 D)

Recuperação de Nascentes em Área Rural (01 D)

A partir da necessidade de garantir o abastecimento das comunidades rurais com água de boa qualidade, o Município de Guaraniaçu implantou no ano de 2009 um projeto de incentivo a proteção de nascentes, com adoção da técnica de proteção com solo-cimento. ...

Leia Mais
Solo na Escola  (08 D)

Solo na Escola (08 D)

Apesar de sua importância para as populações urbanas e rurais, e ao meio ambiente, muitas vezes o conteúdo “solo” é freqüentemente relegado a uma posição de menor importância ou até mesmo ignorado em ações de educação ambiental. O Programa de Extensão Universitária Solo na Escola/UFPR populariza o c ...

Leia Mais
Recuperação de Fontes de Água (06 D)

Recuperação de Fontes de Água (06 D)

A Caritas Brasileira–RS vem promovendo desde 2010 a recuperação de fontes de água de agricultores familiares através de mutirões comunitários, envolvendo famílias, escolas, lideranças, gestores públicos, técnicos agrícolas e pessoas interessadas. Essa ação consiste na limpeza, proteção de tijolos ou ...

Leia Mais
Carbono Social em Rede: Recuperação e Conservação Ambiental (04 D)

Carbono Social em Rede: Recuperação e Conservação Ambiental (04 D)

O projeto Carbono Social em Rede desenvolve um trabalho de preservação e valorização ambiental, integrado a ações de desenvolvimento sócio-econômico territorial. Articula ações com povos tradicionais do campo, empresas e instituições comprometidas com a preservação ambiental. ...

Leia Mais
Programa Matas Legais (05 D)

Programa Matas Legais (05 D)

O Programa Matas Legais é direcionado a ações de desenvolvimento da conservação, educação ambiental e incentivos florestais, os quais auxiliam a preservação e restauração dos remanescentes de floresta nativa, melhorando a qualidade de vida das populações e incrementando o desenvolvimento florestal b ...

Leia Mais
Projeto Tecnologias Sociais para a Gestão da Água – TSGA (07 D)

Projeto Tecnologias Sociais para a Gestão da Água – TSGA (07 D)

O Projeto Tecnologias Sociais para a Gestão da Água – TSGA, selecionado em edital público da Petrobras programa socioambiental, iniciou suas atividades no ano de 2007 com o objetivo de fortalecer o uso sustentável da água através do apoio a capacidade de gestão local de comunidades de bacias hidrogr ...

Leia Mais
Pacto pela Restauração da Mata Ciliar nas Bacias Hidrográficas dos Rios Tijucas e Biguaçu e Bacias Contíguas (09 D)

Pacto pela Restauração da Mata Ciliar nas Bacias Hidrográficas dos Rios Tijucas e Biguaçu e Bacias Contíguas (09 D)

O Pacto pela Restauração da Mata Ciliar nas Bacias Hidrográficas dos Rios Tijucas e Biguaçu, e Bacias Contíguas (Pacto da Mata Ciliar) busca articular instituições públicas e privadas, governos, empresas, comunidade científica e proprietários de terras para integrar seus esforços e recursos para res ...

Leia Mais
Manejo de Resíduos Orgânicos (02 D)

Manejo de Resíduos Orgânicos (02 D)

O Serviço Social do Comércio do Estado de Santa Catarina - SESC, no intuito de promover ações de sustentabilidade no trabalho com "eco-técnicas", promoveu a implantação de pátios de compostagem em suas unidades hoteleiras nas cidades de Florianópolis, Blumenau e Lages.  ...

Leia Mais
Projeto Água: Conhecimento para Gestão (03 D)

Projeto Água: Conhecimento para Gestão (03 D)

"Água: Conhecimento para Gestão" é o projeto de maior envergadura no Brasil no que tange a capacitação, educação e mobilização social em recursos hídricos. Oferece 30 mil vagas em 33 cursos de capacitação gratuitos em 3 modalidades: Educação a Distância - EaD, Semipresencial e autoinstrucional. Os c ...

Leia Mais
  1. 1
  2. 2
  3. 3